Coluna Viciado: Anjos Modernos

Viciado: Anjos Modernos

07/14/16 05:02:12 (2 comentários)

por: Dr. Marlen Elliot Harrison

There Must Be an Angel (Playing with My Heart) (1985)

Aprecie a grande Annie Lennox como trilha Sonora para a coluna desta semana!

Um dos maiores divisores de águas da perfumaria moderna foi sem dúvida o sundae em formato perfume de 1992, Angel de Quest/Clarins para Thierry Mugler. Ainda crescendo com flankers e variações demasiadas para acompanhar, o perfume carregado de cumarina, Angel, provou tão provocante quanto popular, com muitos homens optando pela versão original em vez do par masculino, A*Men.

Contudo, alguns de vocês comentaram que não estavam mais apaixonados pelo aroma revolucionário quando perceberam que as reformulações não fizeram justiça à composição original. Por exemplo, o membro do Fragrantica FruitDiet escreveu:

Angel me impressionou anos atrás e usei toneladas dele. Com cada refil subsequente, ele foi ficando mais fraco, suave e, francamente, desagradável. Meu primeiro frasco me rendia elogios constantes e levou anos para eu admitir que minha fragrância favorita não era mais a mesma. A reformulação de 2015 lançada com o novo frasco “3-D” foi demais para mim. Está mais cara do que nunca e é horrível. Tem a potência de um desodorante do Wal-Mart e evolui para um âmbar sintético barato e com cheiro de urina. Eu tentei disseminar essa informação, pois foi a reformulação mais devastadora nos meus anos como perfumólatra, mas ainda não é de amplo conhecimento. Com bloggers há tanto cinismo a respeito de Angel que ninguém dá a mesma atenção a qualquer que seja a reformulação de algum Guerlain discutida sem fim. Eu seriamente lamento meus anos embaraçosos usando Angel na sua última fase ruim. Deveria ter desistido dele mais cedo.

Fique desanimado e aborrecido… bravo e ainda curioso: Poderia meu Angel ser realmente tão ruim?

Parti então para a Macy’s para ver/cheirar se realmente meu Angel tinha realmente morrido.

E infelizmente…

Decepção.

Era verdade. Algo deu errado. Não era mais a bomba que eu lembrava; não mais o rico e multifacetado elixir.

Veja bem, eu tirei umas férias de Angel nos últimos anos, optando por explorar e apreciar os flankers em vez dos aromas originais.

"É uma multidão de anjos, e eles estão brincando com o meu coração...yeah"

Annie Lennox

Mas posso dizer que quando eu revisitei o Angel masculino (A*Men) no verão de 2015 com um frasco que comprei na internet, simplesmente não senti o mesmo amor; não vestiu a minha pele da forma como eu lembrava. Mas a memória pode ser falha e nossa química de pele pode mudar, então achei que o problema estava comigo em vez de uma mudança na composição (ingredientes).

Meu flanker favorito de Angel nos últimos anos foi Le Goût du Parfum/The Taste of Fragrance de 2011:

Le Goût retém o caráter do Angel original, mas acrescenta uma maravilhosa nota polvorosa de cacau que permanece durante toda a evolução. Cada vez que eu o uso, me lembro disto:

E para mim isso é bom! Eu o dei de presente para um amigo que se apaixonou por ele e desde então tenho pensado em comprar mais um frasco.

Também provei um frasco de verão, Angel Aqua Chic (2013) com suas notas de água de rosas, sorbet de maçã e flor de framboesa. É bom, mas não tem a mesma densidade e profundidade, e eu raramente vou atrás dele. Eu o chamo de “Angel Diet”.

Foi então com grande entusiasmo e um pouco de ansiedade e relutância que eu abordei a mais nova estrela de Angel: Muse

Obrigado, Clarins, por me enviar um frasco dele e de Pure Tonka para um test-drive. A única coisa que eu odeio a respeito de Muse é a sua ridícula campanha publicitária (#hatetolove), mas de qualquer forma eu raramente tenho carinho pelo marketing/publicidade de fragrâncias modernas. Eu teria ficado mais feliz se eles tivessem enfatizado o delicioso acorde cremoso de nozes com algo assim:

Ou, sejamos honestos, até mesmo assim:

Então, odiar amar. Será que Angel Muse vai fazer os que odeiam amarem? Eu realmente não acho Muse tão diferente assim do original como um todo. Se eu o tivesse cheirado às cegas, provavelmente teria dito “Tem o cheiro de Angel”. Ou talvez que cheirasse mais como o suave e macio Innocent com seu chocolate e amêndoas?

Segundo as informações divulgadas sobre as notas de Muse, a cesta frutada de frutas vermelhas (embora na minha pele fiquem imediatamente evidentes) deu lugar a um vetiver (uh-oh) com creme de avelãs. O patchouli ainda está listado, mas não é a nota de patchouli suada dos anos 90 que repele quem odeia (mas que eu amo completamente).

Primeiro, deixe-me dizer que eu realmente gosto do frasco – é fácil de segurar, embora seja uma dor de cabeça para guardá-lo numa prateleira ou gaveta lotada de perfumes.

Quando Muse foi lançado, eu o borrifei uma vez no dorso da minha mão e imediatamente recebi elogios de mulheres ao meu redor. Devo acrescentar que nenhuma delas era realmente fã do original e não sabia o que eu estava aplicando. Ok, então ele teve uma boa receptividade. E por que não? Muse é uma nuvem gourmand suave e macia com nuances frutadas. Eu na verdade não sinto as nuances de avelãs que muitos descrevem, mas não me importaria se alguma hora eu começasse a notá-las. A silagem é aparente e a longevidade também é excelente.

Vou admitir que amo Muse apesar da inclusão do malvado vetiver, meu rival na perfumaria. O perfumista, Quentin Bisch, o descreve como um vetiver gourmand e sensual, então eu não sinto as nuances tipicamente amargas e esfumaçadas.

Como um todo, Muse é o sonho de um amante de gourmands e uma adição bem-vinda à franquia Angel. Com o preço de US$90 por um frasco de 30ml não é certamente algo barato.

Estou ansioso por acabar com meu frasco de 30ml, especialmente nos meses mais frios. Será interessante (divertido?) ver o que vem pela frente. Haverá um par masculino de Muse? AquaMuse? Dark Muse?

E em termos de flankers masculinos, não diria que comecei como um fã. Sei que muitos de vocês são devotos de Pure Malt e Pure Havane, mas ambos tinham algo que me incomodava e não me deixava gostar deles. Pure Coffee, contudo, me fez parecer Homer Simpson:

Mmmmmmmmm, café. Mas alguém mais achou a longevidade problemática?

Recentemente, descobri Pure Wood (2014) e Pure Tonka (2015) e esses figuram como meu primeiro e segundo favoritos entre as versões de A*Men.

No momento em que cheirei Pure Wood na Nordstrom do Boca Town Centre, imediatamente gostei dele. “Por que eu não o provei antes?” pensei. Por algum motivo eu o deixei passar quando foi lançado. Sou um fã ENORME dos aromas amadeirados, especialmente sândalo e cedro sintéticos. Por exemplo, Diptyque's Tam Dao é provavelmente minha fragrância amadeirada favorita.

Tirei algumas amostras do tester da Nordstrom (OBRIGADO, Nordstrom, por permitir que seus clientes façam isso… agora, por favor, nos deem adesivos e canetas para que saibamos o que diabos estamos levando para casa), e depois usá-lo uma vez em casa, imediatamente comprei um frasco pela internet. Estou considerando comprar um frasco de back-up... ou cinco (como se eu não já não tivesse o suficiente para de fato conseguir usar o back-up de alguma coisa).

Pure Wood não é tão doce e sim mais cremoso que as outras versões de A*Men. Há uma nota “amadeirada” proeminente (embora indistinguível) desde a abertura. Não saberia que se tratava de carvalho e, francamente, não sei como o é o cheiro de madeira de carvalho. Mas uau, falemos de conforto engarrafado: Madeira? Sim. Baunilha? Sim. Café? Sim. Patchouli? Apenas o suficiente para manter interessante. É quase como se tivesse sido feito para mim. É a minha nova versão favorita dos Angels, para homens e para mulheres (como se tais distinções significassem alguma coisa para nós perfumólatras).

E com todos esses flankers, o que Clarins poderia fazer na próxima que seja tão interessante e atraente quanto? Digite Pure Tonka.

 

Você se lembra do começo dos anos 2000 quando o acorde patchouli-café/cacau/alcaçuz-lavanda era tudo de que se falava com a vinda do A*Men original? Pense em aromas como Rochas ManYohji HommeNew Haarlem, etc. Bem, Pure Tonka revisita esse gênero e eleva a doçura às alturas!

E uau, Pure Tonka é potente, xaroposo, e totalmente viciante. O mais interessante é que eu posso reconhecer muitas das notas à medida em que o perfume evolui. Eu absolutamente detecto a lavanda; posso sentir um café quente e torrado; pego até mesmo nuances de alcaçuz (que eu normalmente detesto tanto quanto vetiver mas não me incomoda). E Pure Tonka é imediatamente reconhecível como um flanker de A*Men. Na verdade, é mais como um A*Men Intense ou A*Men Eau de Parfum do que um flanker com um novo elemento.

Àqueles que dizem que esse perfume é leve e de pouca longevidade, tenho uma palavra para vocês: anosmia. Acho que talvez seja tão forte que seus narizes estejam se preservando e abafando Pure Tonka. Eu borrifo três vezes e 30 minutos depois recebo um comentário “Uau, isso é potente” de um membro da família... aquele que gosta de se banhar com o Obsession feminino, devo acrescentar.

Então, enquanto nos aproximamos do aniversário de 25 anos da icônica fragrância Angel, eu celebro os Angels modernos de hoje e aguardo ansiosamente por mais 25 anos de gourmands criativos. Obrigado, Mr. Mugler! Obrigado, Clarins! Obrigado, queridos perfumistas que mantém meu desejo por café, chocolate e baunilha constantemente preenchidos.

 

 

Dr. Marlen Elliot Harrison

Editor-Chefe e Colunista

Dr. Marlen Elliot Harrison é jornalista no segmento de fragrâncias, suas publicações têm aparecido na imprensa internacional e em publicações on-line, tais como Playboy, Men’s Journal, Men’s Health e no The New York Times. Marlen também trabalha como coordenador de escrita no Museu Nacional de História Natural e como professor/supervisor do corpo docente de Literatura para os programas de pós-graduação on-line da Southern New Hampshire University’s. Saiba um pouco mais sobre Marlen em www.marlenharrison.com.

Tradução: Daniel Barros

 

 





Advertisement

caioasfoura
caioasfoura

E obrigado Mr. Harrison por suas avaliações e experiências pessoais tratadas com leveza e humor, principalmente no que diz respeito a uma fragrância tão dúbia e multifacetada. Obrigado, também, Daniel Barros pelo empenho magnífico na tradução.

Jul
14
2016
lidialemes
lidialemes

Comprei um angel muse direto do site da mugler. De 50ml por U$ 70,00. Tá na média! rs. Vai chegar em agosto. Estou mega ansiosa porque o angel tradicional e o acqua chic infelizmente não me conquistaram. Mas não é por falta de vontade não. Já forcei nossa amizade várias vezes. Mas algo nele me incomoda profundamente. E pode parecer absurdo, mas não o sinto doce em momento algum. Apenas uma nota gritando o tempo todo. Não sei se é o patchouli. Enfim, espero encontrar no muse a doçura que não encontro no tradicional.

Jul
14
2016

Adicione sua resenha

Torne-se um membro desta comunidade perfume online e você poderá adicionar seus próprios comentários.

Advertisement

Advertisement

Marcas populares e perfumes: