Matérias primas Rooibos

Rooibos

09/01/13 04:39:41

por: Dr. Chandra Shekhar Gupta


Nome botânico: Aspalathus linearis
Nome de família: Fabaceae
Nomes comerciais: Chá rooibos, chá vermelho africano
 

BOTÂNICA

O género Aspalathus tem mais de 200 espécies e é indígena da África do Sul. Aspalathus linearis é a única espécie deste género que tem valor económico. A planta é um arbusto prostrado ou erecto com um caule central de casca lisa. Desde o nível do chão, o caule subdivide-se em várias ramificações fortes, seguidas por delicados ramos laterais cada um deles trazendo, unitariamente ou em grupo, folhas macias parecidas com as agulhas de pinheiro. As flores amarelas, que aparecem na primavera até ao início do verão, são solitárias ou em densos grupos nas pontas dos ramos. O fruto é uma pequena vagem com a forma de lança contendo uma ou duas sementes.

A altura da planta na sua maturidade varia entre 1 a 2 metros no seu estado natural, enquanto a altura das plantas cultivadas varia de 0.5 a 1.5 metros. Depende da idade da planta, assim como do clima e das condições do solo na área de produção. O rooibos é cultivado a uma altitude variável de aproximadamente 300 a 600 metros acima do nível do mar.

É a fonte do chá rooibos e encontra-se nas partes montanhosas do oeste do Western Cape. O chá rooibos tem um aroma único e não tem corantes, aditivos, conservantes ou cafeína.

O PROCESSAMENTO DO CHÁ ROOIBOS

O chá é cortado em pedaços de 3 a 4 mm, colocado a fermentar e batido ao fim da tarde, seguindo-se a adição de água, depois volta a ser batido e agitado. O bater e a adição de água são necessários para acelerar a fermentação, que é iniciada durante o corte. A água serve também para extrair os polifenóis, que coloram os caules. A fermentação acontece durante a noite e e a pilha é espalhada para secar ao sol na manhã seguinte. A fermentação pode levar 8 a 24 horas, com um tempo médio de fermentação de 12 a 14 horas, dependendo das condições climáticas, a composição do material da planta e as condições de processamento. Durante a fermentação o aroma do chá molhado muda de resinoso, feno e ervas para doce, como maçã, mel e caramelo ou para amargo dependendo do estádio da fermentação. Assim que o aroma característico doce, parecido com o mel e a coloração vermelha acastanhada estão totalmente desenvolvidos, o produto é espalhado numa fina camada (15-20 mm) para secar ao sol. O desenvolvimento de um aroma amargo é indicador de sobre-fermentação.

Constituintes químicos – Os principais componentes químicos do óleo essencial de Aspalathus linearis são aspalatina, notofagina, ácido cafeico, crisoeriol, isoquercitrina, orientina, isoorientina, luteolina, vitexina, isovitexina, luteolina, rutina, flavonóides, quercetina e polifenóis.

USOS


Aspalathus linearis é utilizada pelos povos indígenas da área Cederberg e é atualmente aceite universalmente como um chá muito popular.

• É também usada como ingrediente em cosméticos, assim como aroma culinário e em cocktails.

• O chá rooibos é considerado saudável, basedo no fato de que é “inofensivo e satisfatório” devido à ausência de alcalóides e baixo teor de taninos.
 

 

Dr. Chandra Shekhar Gupta

O Dr. Chandra Shekhar é botânico, patologista de plantas e um amante da natureza. Trabalha como Assistant Scientific Officer no National Institute of Plant Health Management, Ministério da Agricultura, em Hyderabad, Índia.

Escritor do Fragrantica desde 2011, o Dr. Shekhar contribui com conteúdos educativos sobre matérias-primas (plantas).

 

 

 



Anterior Matérias primas Seguinte


Advertisement

Adicione sua resenha

Torne-se um membro desta comunidade perfume online e você poderá adicionar seus próprios comentários.

Advertisement

Advertisement

Marcas populares e perfumes: